Utilizamos cookies próprias e de terceiros para melhorar o nosso serviço, personalizar os anúncios e relembrar as suas preferências. Se continuar a navegar, entenderemos que está a aceitar a utilização de Cookies no nosso Site. Para mais informações (por exemplo, como mudar as suas preferências), visite-nos em Política de Cookies

OK
advertisement

Holmes Place – Pilates: ajuda a reduzir as dores de costas?

São cada vez mais as pessoas que se queixam das vulgares “dores de costas” com todas as inconveniências, a nível pessoal e profissional, que isso acarreta. Analisar o local da dor (dorsal e/ou lombar), assim como as possíveis causas, será essencial para perceber os benefícios que o Pilates poderá trazer, já que existem inúmeras patologias na coluna que apresentam sintomas semelhantes. Por exemplo, os exercícios de Pilates para pessoas com escolioses são diferentes dos exercícios recomendados para pessoas com hérnias discais, apesar de ambas poderem apresentar uma dor semelhante e implicarem, sem dúvida, alterações no funcionamento da coluna.

Quaisquer que sejam os problemas que originam as dores de costas, com a exceção de traumas, todos são predispostos por uma má postura. Este é um ponto crucial na abordagem já que o Pilates deve ser praticado como prevenção e/ou melhoria de uma má postura, mesmo nos casos em que não há dor  de forma a evitar o seu aparecimento.

Numa situação normal a coluna vertebral deve apresentar-se neutra (respeitando as curvaturas fisiológicas existentes) e, ao mesmo tempo, manter uma boa mobilidade entre vertebras e estabilidade no seu conjunto. Na maioria dos casos, devido à atividade muscular incorreta, começam a surgir locais em que a coluna perde a sua mobilidade normal e, ao forçar os movimentos, esta fará com que as zonas supra ou infra jacentes tenham de compensar a mobilidade reduzida desses pontos. Com o tempo, devido à mobilidade excessiva, essas zonas começam a provocar dor mas a origem do problema está nos locais que apresentam uma mobilidade reduzida. Nesta linha de pensamento poderá perceber-se que nem sempre o problema está no local da dor. Na verdade isso raramente acontece o que dificulta o diagnóstico.

O Pilates consiste num método que procura realizar exercícios para melhorar a nossa harmonia músculo-esquelética através de um controlo dos movimentos mais eficiente (propriocepção), melhoria da respiração, mobilidade e ativação muscular com o objetivo de manter uma postura neutra. A respiração tem uma grande influência na mobilidade das costelas e da coluna, em especial do segmento dorsal, para além de inúmeros mecanismos do organismo para manter a sua funcionalidade correta. Também a união entre corpo e mente, procurado no Pilates, ajuda a mudar hábitos de vida para que o trabalho realizado durante as sessões  se reflita nas atividades diárias dos praticantes.

Assim, percebendo a origem das “dores de costas” e os benefícios do Pilates facilmente se perceberá que pode trazer muitas vantagens para os seus praticantes no alívio das dores. Embora na atualidade o método de Pilates tenha muitas variações, pode e deve ser praticado por todos, independentemente de terem dores ou não, de serem atletas experientes ou iniciantes, uma vez que conduz a uma maior consciencialização de ativação dos músculos do CORE o que leva por sua vez  a uma postura mais eficiente (diminuição da incidência de lesões).

São muitos os casos em que as pessoas, em fases de dores agudas,  procuram a solução no Pilates. Infelizmente, e se a dor for intensa, fazer exercícios de força nesta altura poderá não ser o melhor, havendo outras terapias mais aconselhadas. Nestes casos mais críticos, em que as dores começam a ser constantes e com maior intensidade, deverão realizar-se exames complementares de diagnóstico para verificar se existe alguma patologia e ajustar a prática de modo a torná-la mais segura e adequada. Desta forma, aconselha-se a realização de uma consulta médica num especialista e aulas de Pilates com uma abordagem mais terapêutica e individualizada para estes casos.

Como em qualquer atividade desportiva ou terapêutica, ter uma visão holística fará a diferença para ter sucesso. Realizar 2 a 3 sessões de Pilates por semana sob orientação, mas não mudar alguns hábitos diários, como passar muitas horas sentado e não ter posturas de auto-cuidado, de pouco valerá na diminuição da “dor de costas”. Lembre-se que o nosso organismo não distingue se está numa aula ou a fazer qualquer outra tarefa, estando sempre a integrar informação (hábitos posturais) através de mecanismos do Sistema Nervoso Central.

Boas aulas.

Exemplos de exercícios: Image and video hosting by TinyPic

Imagens retiradas de: Isacowitz R. 2014 Pilates. 2ª Edição. EUA. Human Kitetics.

Texto: José Pereira Master Trainer Holmes Place




Holmes Place – Pilates: ajuda a reduzir as dores de costas?
Categoria: