Utilizamos cookies próprias e de terceiros para melhorar o nosso serviço, personalizar os anúncios e relembrar as suas preferências. Se continuar a navegar, entenderemos que está a aceitar a utilização de Cookies no nosso Site. Para mais informações (por exemplo, como mudar as suas preferências), visite-nos em Política de Cookies

OK
advertisement

Desafios da produção alimentar sustentável

O nutricionista e professor universitário Duarte Torres escreveu um artigo para o Público em que abordou “os desafios de comer bem sem destruir o planeta”. Deixamos aqui os principais pontos focados:

- Apesar de haver produção a nível mundial que permita alimentar os 7,1 mil milhões de habitantes, um quarto dos alimentos produzidos estraga-se. Cerca de uma em oito pessoas passa fome, com especial incidência na Ásia, África e América do Sul.

- Um terço dos cereais cultivados é utilizado para alimentação animal e um sétimo para a produção de biocombustível. Ou seja, “À escala global, na fila para a comida, colocamos os animais e as máquinas à frente das pessoas”.

- “O rendimento da produção agrícola mais que duplicou nos últimos 50 anos”, como consequência dos avanços tecnológicos. Apesar disto, o rendimento da produção nos países desenvolvidos tem vindo a estabilizar, o que prova que este modelo se estará a esgotar.

- 70% da água consumida é para efeitos de produção agropecuária, sendo que muitos lençóis de água se encontram poluídos devido às infiltrações de pesticidas e de fertilizantes dos solos agrícolas. 40% do solo disponível para cultivo já está utilizado, com tendência para aumentar; contudo, este número só é conseguido com a diminuição de floresta virgem e perda de biodiversidade.

- Com o aumento da população, um dos maiores desafios que se afigura é como aumentar a produção de peixe e carne (fontes proteicas animais), visto que, com o aumento populacional e do poder de compra, haverá um aumento da procura destes alimentos.

- Este aumento poderá levar a consequências devastadoras. No caso da pesca, o valor mais alto de peixe capturado foi em 1994, com uma ligeira tendência decrescente desde então. As técnicas como a pesca de arrasto de profundidade afetam negativamente o meio marinho, e, a manterem-se estas práticas piscatórias, “exterminarão os oceanos em quatro ou cinco décadas”.

- A produção de carne, que implica a criação do gado, também afeta significativamente o meio ambiente, sendo que “cerca de 70% da área agrícolas é utilizada para produzir pasto ou culturas para rações animais”. A exigência de produção leva a que se procure aumentar cada vez mais esta área, sendo responsável por grande parte da desflorestação. Acresce ainda que a produção de gado ruminante produz uma grande quantidade de gases com efeito estufa.

 

Veja o artigo original aqui.



Desafios da produção alimentar sustentável
Categoria: